15.4 C
Cachoeira do Sul
quinta-feira, 20 fevereiro, 2020 - 07:51
Notícias de Cachoeira do Sul e Região

Assassino do taxista foge e MP pede prisão preventiva

Junior Viana: solto mesmo após ter confessado assassinato de taxista / Foto: Divulgação

A promotora de Justiça Maristela Schneider, do Ministério Público de Cachoeira do Sul, encaminhou nesta quarta-feira (5) um pedido de prisão preventiva contra Junior Vanderlei Viana, de 19 anos, assassino confesso do taxista Paulo Rogério da Rosa Morales, de 54 anos. A representante do MP pediu ao juízo da 1ª Vara Criminal de Cachoeira um pedido de reconsideração para que Viana seja recolhido novamente ao Presídio Estadual de Cachoeira do Sul.

Viana foi solto 48 horas após matar Morales com golpe de faca no pescoço e jogar o corpo às margens da BR-153, perto do trevo do Horbach, na madrugada de sábado (1º). O alvará de soltura saiu em audiência de custódia comandada na última segunda-feira (3) pelo juiz Daniel Berthold.

Durante a tarde desta quarta-feira, a promotora recebeu da Polícia Civil um comunicado formal dando conta de que Viana não encontra-se na comarca de Cachoeira, o que encontraria um dos requisitos da soltura na audiência de custódia. “Já se sabe que o rapaz fugiu, está em local incerto e não sabido”, afirmou a promotora Maristela em entrevista no final da tarde ao Programa Fandango Notícia.

A expectativa dela é de que uma nova decisão do Judiciário saia ainda nesta quarta-feira. Viana não tinha antecedentes no âmbito da maioridade, mas já se envolveu em crimes quando adolescente, destacou a promotora Maristela. Caso o pedido seja indeferido pela Justiça, o MP ingressará com um recurso em sentido estrito no Tribunal de Justiça do RS para que seja reconsiderada a soltura de Viana. “Foi um crime gravíssimo, com crueldade e frieza”, avalia a representante do MP. A promotora Maristela reforçou ainda a necessidade de prisão preventiva de Cesaro Henrique Morinel Brandão, 38 anos, delatado por Viana como mandante do crime.

Brandão foi preso no último sábado em flagrante por tráfico de drogas, e nos mesmos autos da prisão o delegado João Gabriel Parmeggiani Pes solicitou a preventiva ao Judiciário pelo homicídio de Morales.

Promotora Maristela busca na Justiça a reconsideração para que assassino de taxista volte para atrás das grades / Foto: Arquivo