17.1 C
Cachoeira do Sul
sexta-feira, 21 fevereiro, 2020 - 21:30
Notícias de Cachoeira do Sul e Região

Ambulantes venderão no Camelódromo

Foto: Divulgação

O prefeito em exercício de Cachoeira do Sul Cleber Cardoso, participou de encontro com imigrantes e os advogados Kader Bahij Misleh Ahmad Saleh e João Francisco Carvalho Ribeiro. A reunião, na manha desta sexta-feira (1º), debateu soluções para os imigrantes que atuavam como ambulantes nas ruas centrais da cidade. “Recebi ligação do vice-prefeito com convite para reunião, na presença de todos os imigrantes, os jurídicos e demais servidores”, conta o advogado.

Na oportunidade, os presentes trataram sobre a necessidade de diálogo, de acolhimento e do encontro de soluções que permitam aos imigrantes a continuidade de suas atividades, de modo a resguardar a manutenção e garantir o respeito de suas dignidades, de seus sustentos e do sustento de suas famílias, atentando, aos interesses do Município e à necessidade de regularização de cada um deles. “Encontro produtivo, onde todos buscaram soluções. É disso que eles precisavam. Hoje, nossos irmãos retomarão suas atividades, em local ainda provisório, e manteremos o diálogo até o encontro de solução definitiva”, detalha Saleh.

Foto: Divulgação

Conforme acordado no encontro, os imigrantes do Senegal e da Gâmbia que ocupavam as calçadas da Rua 7 de Setembro irão para o Camelódromo da Praça Honorato do Souza Santos.

Na semana passada, os fiscais da secretaria municipal de Indústria e Comércio notificaram os ambulantes do Centro de que eles não podiam comercializar seus produtos nas calçadas, já que a Prefeitura estava recebendo reclamações sobre a ocupação indevida do espaço, prejudicando o trânsito dos pedestres.

Enquanto o espaço do Camelódromo é reorganizado, os cinco vendedores ambulantes ficarão instalados na estrutura central da Praça Honorato. Na tarde desta sexta-feira (1º), o grupo já foi para o local. “Não vamos mexer com os ambulantes que já estão instalados no Camelódromo. O que queremos é ampliar o espaço para recebê-los”, frisa Cardoso, que esteve no local para informar aos camelôs sobre as mudanças.

Saleh ainda ressalta que todos os imigrantes entendem que é preciso seguir a legislação da cidade em que estão instalados, mas acrescentou ainda que eles são cidadãos que trabalham de forma autônoma, precisam se sustentar em Cachoeira (pagando aluguel e alimentação) e ainda precisam enviar dinheiro para suas famílias (esposa, pais, filhos). “Eles são refugiados, que entraram pela Bolívia e já estão em processo de permanência no Brasil. Eles precisam apenas ser acolhidos, se sustentar e ter oportunidade de se regularizarem”, explica.

Notificação para resolver o problema

O prefeito em exercício explica ainda que a notificação emitida a eles foi uma forma incentivar os ambulantes a buscarem esclarecimento e também a se regularizarem. “Jamais nossa intenção foi criar um problema para resolver outro. Tanto é que emitimos a notificação e esperamos antes de qualquer outra atitude. Que bom que eles aceitaram meu convite para dialogar. Fiquei contente em recebê-los para poder conversar, ouvi-los e apresentar as sugestões da Prefeitura”, justifica Cardoso. Segundo Cardoso, os cinco imigrantes já demonstraram vontade de se regularizarem.