16.4 C
Cachoeira do Sul
sábado, 14 dezembro, 2019 - 05:47
Notícias de Cachoeira do Sul e Região
  • Inicio
  • DESTAQUES
  • Polícia investiga roubo a atleta cachoeirense durante super maratona

Polícia investiga roubo a atleta cachoeirense durante super maratona

A Polícia Civil de Cachoeira do Sul investiga o roubo que vitimou a atleta cachoeirense Renata Vidal Peixoto, de 37 anos, durante uma super maratona, em Santa Vitória do Palmar. Renata fazia a prova Cassino Ultra Race 230k, com 230 quilômetros de percurso. A largada foi na praia de Barra do Chuí e a chegada seria na Praia do Cassino, em Rio Grande. Mas ao passar pela Praia do Hermenegildo, cerca de 20 quilômetros após o início da prova, Renata foi assaltada, na noite do dia 26 de setembro. Segundo registro feito na Delegacia e Polícia de Cachoeira do Sul, a vítima ouviu uma voz vinda da sua esquerda com a ordem para ela entregar a mochila e que era um assalto. Renata ouviu ainda o barulho da moto. Depois de entregar a mochila, a atleta correu com medo que o ladrão voltasse e que ela fosse alvo de sequestro. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Polícia de Santa Vitória do Palmar.

Polícia recebeu informação neste sábado (5) / Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

O delegado Ronaldo Coelho, que ficará responsável pela investigação, foi informado neste sábado (5) sobre o caso. A Polícia passou a trabalhando para identificar a autoria do crime, mas Coelho confirma que enfrenta dificuldades. De acordo com o delegado, o crime em um local isolado, sem imagens de câmeras de rua e testemunhas. Além disso, Renata mora em Cachoeira do Sul e a Polícia de Santa Vitória do Palmar acaba ficando sem contato direto com ela.

Para a prova, Renata treinou oito meses e teve um gasto financeiro alto. A atleta ganhou o segundo lugar no Deserto do Saara, foi a primeira brasileira a correr por seis horas numa prova na França, além de vencer campeonatos brasileiros e sul-americanos de atletismo. A cachoeirense é a atual campeã da Travessia Torres Tramandaí, uma das principais provas de areia do Rio Grande do Sul.

Segundo a atleta, não havia posto de apoio por perto, e ela precisou correr por cerca de cinco quilômetros até encontrar alguém da organização da prova.