20.3 C
Cachoeira do Sul
terça-feira, 19 novembro, 2019 - 00:12
Notícias de Cachoeira do Sul e Região

Reforma da Previdência: Marlon volta a contrariar PDT

Parlamentar cachoeirense votou a favor do projeto / Foto: PDT

Por 370 votos a favor, 124 contra e 1 abstenção, o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, em segundo turno, o texto-base da proposta de emenda à Constituição que reforma da Previdência. Sob aplausos, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), proclamou o resultado à 0h38 desta quarta-feira (7), depois de cinco horas de debates. O deputado cachoeirense, Marlon Santos, voltou a contrariar a orientação do PDT e votou favorável pela aprovação. Ao todo, oito parlamentares pedetistas votaram a favor do projeto e 18 contra, além de uma abstenção.

Já no primeiro turno de votação sobre o tema, a direção do PDT havia declarado punição a Marlon Santos e suspendeu o deputado das atividades partidárias. Após realizar uma reunião para discutir a situação dos parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência, o partido decidiu abrir um processo contra os oito deputados da sigla que contrariaram determinação partidária. A decisão definiu que os parlamentares ficariam suspensos de suas atividades na Câmara dos Deputados.


Foto: Cleia Viana / Agência Câmara

A sessão foi encerrada logo após o anúncio do placar já na madrugada. Segundo Maia, os deputados começarão a discutir os destaques em sessão marcada para as 9 horas desta quarta-feira (7). No segundo turno, só podem ser votados destaques e emendas supressivas, que retiram pontos do texto. Propostas que alteram ou acrescentam pontos não podem mais ser apresentadas.

O primeiro turno da proposta foi concluído no dia 13 de julho. Na ocasião, o texto principal foi aprovado por 379 votos a 131. Em segundo turno, são necessários também 308 votos para aprovar a PEC, e os partidos podem apresentar somente destaques supressivos, ou seja, para retirar partes do texto. Concluída a tramitação na Câmara, a matéria segue para análise do Senado, onde também será analisada em dois turnos de votação.

Como votaram os deputados gaúchos:

SIM
Onyx Lorenzoni (DEM)
Alceu Moreira (MDB)
Darcísio Perondi (MDB)
Giovani Feltes (MDB)
Márcio Biolchi (MDB)
Marcel van Hattem (NOVO)
Marlon Santos (PDT)
Giovani Cherini (PL)
Afonso Hamm (PP)
Jerônimo Goergen (PP)
Pedro Westphalen (PP)
Carlos Gomes (PRB)
Liziane Bayer (PSB)
Danrlei de Deus Hinterholz (PSD)
Daniel Trzeciak (PSDB)
Lucas Redecker (PSDB)
Bibo Nunes (PSL)
Nereu Crispim (PSL)
Sanderson (PSL)
Marcelo Moraes (PTB)
Maurício Dziedricki (PTB)
Santini (PTB)

NÃO
Afonso Motta (PDT)
Pompeo de Mattos (PDT)
Heitor Schuch (PSB)
Fernanda Melchionna (PSOL)
Bohn Gass (PT)
Henrique Fontana (PT)
Marcon (PT)
Maria do Rosário (PT)
Paulo Pimenta (PT)