23.6 C
Cachoeira do Sul
sexta-feira, 15 novembro, 2019 - 19:22
Notícias de Cachoeira do Sul e Região
  • Inicio
  • POLÍCIA
  • Batalhão da Polícia Rodoviária Estadual deverá permanecer em Cachoeira do Sul

Batalhão da Polícia Rodoviária Estadual deverá permanecer em Cachoeira do Sul

Foto: Divulgação

A sede do 2º Batalhão da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) deverá permanecer em Cachoeira do Sul. O tema foi discutido na tarde desta quarta-feira (21), durante reunião na Casa Civil, em Porto Alegre. A reunião ocorreu após o rumor de uma transferência do órgão para Santa Maria.

No encontro, os deputados estaduais Fábio Branco (MDB) e Zilá Breitenbach (PSDB) intercederam junto ao chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, em favor da manutenção da estrutura no Município.

Um ofício assinado pelo vereador licenciado e secretário municipal de Trabalho e Assistência Social, Felipe Franja, pelo assessor parlamentar Ramires Tiago Lauxen e pelo coronel da Brigada Militar, Francisco de Paula Vargas Júnior, foi entregue ao secretário Otomar.

No documento, as lideranças de Cachoeira do Sul argumentam que o batalhão fica em um prédio próprio do Estado, completamente estruturado para atender às demandas administrativas do órgão.

Além disso, a retirada da sede administrativa de Cachoeira do Sul acarretaria em perda de R$ 400 mil de recurso de emenda impositiva ao Orçamento da União. “Há um projeto para a implantação de vídeo monitoramento em Cachoeira do Sul. A Central de Monitoramento deverá ficar na sede do Batalhão. Se a estrutura for transferida para Santa Maria, automaticamente essa verba seria perdida”, explica Franja.

Durante a reunião, o deputado Fábio Branco lembrou que a hipótese de transferir a sede do batalhão para Santa Maria já foi discutida anteriormente. “Tratei esse assunto quando fui chefe da Casa Civil. À época, intercedi em favor de Cachoeira do Sul por entender que não havia sentido gastar recursos financeiros para mudar uma estrutura que está funcionando bem”, detalha Branco.

O chefe da Casa Civil esclareceu que o assunto não chegou a ser discutido dentro do núcleo de governo e, nesse momento, rechaçou qualquer hipótese de transferência da estrutura para Santa Maria. De acordo com Otomar, é legítima a reivindicação para que siga em andamento o que hoje está dando certo no Município. “Os deputados estarem envolvidos com o tema afirma que a representação política, quando é feita com seriedade, cumpre a sua função”, destaca Otomar.