17.3 C
Cachoeira do Sul
terça-feira, 10 dezembro, 2019 - 08:26
Notícias de Cachoeira do Sul e Região

DIETA versus PRESSÃO SOCIAL

Você já tentou cumprir um plano alimentar, por algum motivo qualquer? Uma das queixas que mais ouço ao longo da minha carreira como nutricionista, é a dificuldade em seguir um plano alimentar, mais conhecido como dieta, por inúmeras razões que vão desde a falta de motivação à grande pressão social ou familiar. Expressões como “só hoje não tem problema”, “só um pouquinho não vai fazer mal”, “a tua nutricionista não está te olhando”, são comuns e os protagonistas dessas frases jamais imaginam (suponho que) o quanto estão dificultando um processo que já é bastante árduo.

Dietas são planos alimentares que devem cumprir uma finalidade. A maioria das pessoas, ao ouvir a palavra dieta, já imagina que seja para emagrecer. Mas o objetivo pode ser o oposto disso: ganhar peso. Ou a recuperação/tratamento de alguma doença. Ou ainda o controle de alguma taxa sanguínea, como colesterol, triglicérides, glicemia (açúcar no sangue), ácido úrico e tantas outras. Pode ainda, ser um processo de mudança com vistas a uma alimentação mais saudável, tão somente.

O ideal, é que seja mesmo um processo, e por isso deverá levar algum tempo. Claro, se exige mudanças num padrão alimentar de muitos anos, será difícil e requer perseverança, foco, determinação. E TEMPO. Caso contrário será uma mudança superficial e temporária, que deixará de acontecer tão logo o indivíduo alcance o seu objetivo. Do tipo: “ah, agora eu consegui, finalmente posso comer o que eu quiser”. E voltamos ao ponto zero, ou seja, não foi uma mudança.

O problema é que durante esse processo aparecem aqueles que não estão comprometidos com o objetivo ou talvez queiram deliberadamente atrapalhá-los. Por quê? Não compreendo. Mas existe, sim. Exemplo disso são aquelas frases que eu escrevi lá no primeiro parágrafo. Essa pressão para que uma pessoa desvie o seu foco é mais comum do que se imagina, e faz parte de um universo psicossocial o qual deixo para os especialistas psicólogos interpretarem.

Cabe a mim trabalhar a motivação dos meus clientes para que não se deixem abater tão facilmente e mantenham o seu foco.

Mudar hábitos alimentares sempre é complicado. Requer também parcerias, pessoas aliadas que vão contribuir com o alcance das metas. Fugir das festas e encontros familiares não é a solução. Afinal, quem pode viver à margem da sociedade porque precisa melhorar a sua alimentação? Nem tem cabimento uma coisa dessas.

O papel do nutricionista é orientar e fortalecer a conduta, melhorando a relação com a comida, aprendendo a se proteger de situações como as citadas acima, e proporcionar que o cliente alcance seus objetivos.

O nutricionista é o profissional habilitado e qualificado para isso. Consulte-o.

Denise Carvalho Caspani
Nutricionista – CRN 2 1781