22 C
Cachoeira do Sul
segunda-feira, 11 novembro, 2019 - 18:48
Notícias de Cachoeira do Sul e Região
  • Inicio
  • DESTAQUES
  • Sucessores de Reinaldo Roesch montam operação para ter laudo da chaminé

Sucessores de Reinaldo Roesch montam operação para ter laudo da chaminé

A Empresa Reinaldo Roesch montou uma operação na tarde desta terça-feira (27) para ter em mãos um laudo técnico sobre a estrutura da chaminé dos antigos engenhos, no Bairro Rio Branco, em Cachoeira do Sul. A decisão foi tomada depois que a fiscalização de posturas da Secretaria de Obras e a Defesa Civil interditaram a área sob a alegação de risco de acidente devido a rachaduras na chaminé com extensão também para marquises dos prédios.

O trabalho de vistoria foi feito pelo arquiteto André Müller com a participação do 3º Batalhão de Engenharia de Combate. Através de guindaste, André e um militar, tiveram a oportunidade de ver de perto a estrutura apontada pela Prefeitura, nas proximidades do topo da chaminé onde existe uma vegetação.
A preparação para a análise demorou quase uma hora, porque havia necessidade de testes com o guindaste, que tem capacidade para 72 metros de extensão. O equipamento, locado pelos sucessores de Reinaldo Roesch, permitiu ao arquiteto ver de perto a estrutura da chaminé, que tem 49 metros de altura e uma base com 2,60 metros de diâmetro.

“Temos que ter calma e após emitir o laudo técnico”, afirmou André Müller, acrescentando que considera um exagero a Prefeitura ter interditado a área ao redor da chaminé. “Respeito a opinião deles (referindo-se aos técnicos da fiscalização), mas não vejo perigo de acidente”, salientou. O arquiteto não informou em quanto tempo concluirá o laudo.

DA BASE AO TOPO

O arquiteto André Müller também examinou a base da chaminé. Ele teve acesso a um dos prédios onde funcionava o complexo do Roesch e, através de um túnel sem iluminação e com muita umidade, verificou a estrutura da base e para ter uma ideia da constituição da chaminé. “A construção, embora feita há muito tempo, está em boas condições, mas evidente que a avaliação será de toda a estrutura”, revelou.

PÚBLICO

A movimentação do guincho do Exército e a interdição da Rua Maria do Carmo, entre as ruas Marechal Floriano e Otto Mernak, chamou atenção do público, que passava pelo local. A área está interditada para veículos, tanto que tubos de concreto foram colocados na rua, mas a passagem de pessoas está liberada.

ATENÇÃO

A interdição pela Prefeitura foi tomada depois de imagens feitas pelo engenheiro civil Fernando Gehrke, onde foram apontadas diversas rachaduras no topo da chaminé. Em seu laudo ele relata que é impossível determinar o tempo relativo de um possível colapso da estrutura de coroamento da chaminé.

Por este motivo, seu laudo concluiu ainda pela interdição em um raio de 30 metros no entorno da base da chaminé como forma de preservar a integridade física das pessoas que transitam ou trabalham nas proximidades. Para isso serão utilizados tubos de concreto, cerquite e placas.

Os sucessores dos proprietários do Engenho Roesch foram intimados a apresentar um laudo atualizado assinado por engenheiro particular com as medidas a serem tomadas para resolver o problema.

Operação foi montada para realização de laudo / Foto: Cacau Moraes