Carregando...
Torne-se um assinante gratuitamente e desfrute das vantagens de ser um leitor VIP.
Assinar Agora

Quem vai querer um pouco de poeira radioativa?

Terça-feira, 18 de Abril de 2017 às 10:32 por (telmopadilha@gmail.com)

Nem pense coisas. Estou falando de atitudes. De comportamentos. De caráter. De educação. De solidariedade e até de política. Na verdade são atitudes e comportamentos que deveriam ser padrão nessa civilização cachoeirense. Mas por não serem, quando acontecem se tornam exóticas e, justamente por isso surpreendentes.

Vamos lá. Uma senhora a pé, com uma criança no colo vai atravessar uma rua que tem grande tráfego de automóveis, motos, caminhões,­­­ etc. Cansei de ver senhoras nessa situação esperar um tempo enorme para que alguém parasse o veículo e lhe desse passagem. Pois agora tenho visto cada vez com mais frequência motoristas frearem seus veículos e dar passagem a essas senhoras. Pense o que quiser, mas para mim é novidade. E das boas.

Outro dia vi um menino pré-adolescente com um picolé na mão. Esses de palito e com embalagem que serve como proteção para conter o derretimento. Caminhava e degustava o picolé. Quando acabou ele levantou a embalagem sobre o palito dobrou e como não achou uma cestinha de lixo, colocou no bolso da calça para descartar depois. Alguém vai dizer que isso é o que se deve fazer, mas foi a primeira vez que assisti essa cena nessa cidade. O mais comum era ver essas embalagens atiradas no chão da rua.

São muitos exemplos e tomaria o tempo do leitor. Vamos a radiação.

Enquanto retornamos a tratar uns aos outros com cortesia na pequena aldeia de São João da Cachoeira os americanos, chineses, norte-coreanos, turcos, sul-coreanos estão a rosnar uns para os outros. E nós, brasileiros que só enxergamos corrupção, agora temos que se preocupar com a terceira guerra mundial. As armas que vão ser usadas podem destruir a humanidade e nos levar de volta a idade da pedra mas agora com cabeça de megabytes. Para nós, cachoeirenses que podem receber essa poeira radioativa vinda do mar, subindo o rio Jacuí, vai ser muito doloroso. Justo agora que estávamos ficando cordiais e humanizados vem esse pó provocar a nossa gente.

É tanta a sorte dessa cidade que a poeira radioativa não vai nos fazer mal algum. Cachoeira do Sul é a cidade que tem mais rádio atividade no sul do país. Daí, uma come a outra. Sorte nossa!

TAG: poeira radioativa, telmo padilha
+ ColunasVer todas
Pants & Pantacourt
Pants & Pantacourt
por Luciane Silveira
Desta vez, não venho falar de novidades na moda. As pantalonas estão incorporadas no universo fashion, há muito tempo. Nos anos 1970 foram um hit e ditaram uma época. Hoje, pode se dizer, uma peça que é...
A carta de papel
A carta de papel
por Rejane Savegnago
Há algum tempo atrás resolvi escrever cartas. Escrevi então uma carta pequena, mas muito cheia de tons e carinhos para minha neta que tem 7 anos de idade; pensei que ela precisasse de um estímulo para exercitar sua...
Comer fora é traição?
Comer fora é traição?
por Telmo Padilha
Não! É necessidade. Praticidade. Economia. A nossa cidade, a exemplo de outras, tem diversas opções de lugares onde se pode usufruir uma refeição saudável fora de casa. Seja em restaurantes,...
Ter aceitação é aceitar ser feliz!
Ter aceitação é aceitar ser feliz!
por Cleo Boa Nova
É tão agradável, mas tão agradável não se enfurecer nem sentir raiva que, embora tenhamos motivos para tal, o ideal é nos esforçarmos sempre para evitar cometer esses distúrbios...
Leite brasileiro para programas sociais
Leite brasileiro para programas sociais
por Igor Noronha
No ano passado, em média, foram comprados do Uruguai 6,6 mil toneladas ao mês de leite. Várias tratativas foram feitas no sentido de se verificar a origem desse leite, em respeito ao Mercosul e às autoridades uruguaias....
Assine, é Grátis
O Correio Digital
Canal no Youtube do Jornal O Correio Jornal O Correio no Twitter Jornal O Correio no Youtube